Beleza

ARGILA


É um dos três medicamentos mais antigos e poderosos da humanidade, juntamente com a água e as plantas. Desde Hipócrates a Galeno e Avicena, que notáveis terapeutas a têm utilizado com resultados surpreendentes. Também Gandhi recorria à argila e até a Bíblia fala das suas propriedades curativas e "milagrosas". Há registros milenares apontando a o uso de máscaras de argilas como práticas terapêutica, podendo citar a civilização egípcia, que gerou grandes contribuições na área da Aromaterapia.

COMPOSIÇÃO

A argila contém sílica, alumínio, ferro, titânio, cálcio, sódio, potassa e por vezes até magnésio. São chamados também de oligoelementos quando estão em doses raras, porém são poderosos. As proporções destes compostos variam conforme a sua origem, mas todas têm elevada porcentagem de sílica e alumínio, o que explica as suas propriedades cicatrizantes e anti inflamatórias. Os íons negativos têm a capacidade de atrair e absorver toxinas provenientes dos ions positivos, reduzindo os níveis de toxicidade e produzindo efeitos antissépticos, antibióticos e cicatrizantes.


MODO DE USAR

Pode aplicar-se argila em todo o corpo, mas não se deve colocar lama espessa sobre os mamilos, lábios, boca e genitais, bem como sobre os olhos ou no interior dos ouvidos.




NA ESTÉTICA

As máscaras faciais de argila servem para limpar, nutrir e revitalizar a pele, através da eliminação de toxinas, da micro esfoliação e do estímulo da circulação sangüínea local.

No entanto, é importante que se utilize argila de boa procedência, dissolvida em água mineral ou destilada ou associada a um creme neutro.

A concentração de determinadas minerais na argila, combinados sabiamente pela natureza, confere-lhe qualidades especiais para curar. Seus principais efeitos no organismo são:


• Eliminar toxinas.

• Estimular a micro circulação cutânea.

• Permitir a troca de energia dos minerais com a parte afetada.

• Promover uma micro abrasão (peeling suave).

• Regular a produção sebácea.



Em estética, os tratamentos da pele com argila são de extraordinária eficácia, sendo um excelente exemplo o efeito benéfico que têm na reafirmação de seios e como complemento nos tratamentos de redução de estrias.


Depois de um tratamento de argila deve lavar-se a pele com água corrente sem quaisquer produtos cosméticos, podendo tonificar e hidratar a pele com produtos naturais. A argila produz resultados muito rápidos em estética e muito lentos, mas muito duradouros, na área da saúde. É comum, nos primeiros tratamentos, verificarem-se resultados inquietantes, como o agravamento de uma ferida ou o aumento de irritação da pele: isso é normal, pois é o processo de desintoxicação e eliminação de venenos através da pele - não deve suspender-se o tratamento, pois a cura virá a seguir. Se a argila aquecer muito durante o tratamento ou secar, deve substituir-se por nova aplicação. Nunca deve voltar a usar-se argila já utilizada.

Ampliando o poder das argilas, os óleos essenciais integram uma sinergia perfeita que completa as ações dos minerais encontrados nas argilas.

Existem vários tipos de argila e cada uma é indicada para uma finalidade específica. Antes de usá-la, é preciso conhecer sua composição.